sábado, 15 de setembro de 2018

TEASER XVII CARURU DE IBEJI E AS PEDAGOGINGAS

Agradecemos às nossas divindades por mais um ano estarmos aqui, convocando todo nosso povo para mais uma vez nos unirmos em torno do nosso banquete ancestral. Vem aí o XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas, de 26 a 30 de setembro, com o tema ''30 anos da Casa do Boneco: da desfolclorização à Escola do Tambor''. Oficinas, Djumbais, Cineclube, Brinquedoteca, Feira de Economia Criativa, atrações musicais, poesia, teatro de bonecos, diversas linguagens trabalhando juntas pela valorização do legado de lutas do povo afro-indígena. 
Confiram o teaser: 



MUTIRÃO ‘‘TEIA NO TRECHO’’ REALIZA AÇÕES NA CASA DO BONECO DE ITACARÉ


No último final de semana, de 07 a 09 de setembro, a Casa do Boneco de Itacaré (CBI) e a Teia dos Povos realizaram o mutirão ‘‘Teia no Trecho’’, promovendo ações de reparos e infraestrutura da instituição. Participaram da atividade cerca de 60 pessoas de 5 comunidades: Casa do Boneco, Assentamento Terra de Santa Cruz, Assentamento Terra Vista, Acampamento Santa Fé e Acampamento Lanns Almeida e dois estudantes do IF Uruçuca.











As ações de reparo aconteceram tanto na sede da CBI em Itacaré quanto na Fazenda Modelo Quilombo D’Oiti. Foi feito o trabalho de roçagem, poda de árvores e coleta de madeira, reforma da cerca, assentamento de piso e portas dos novos banheiros. A CBI agradece especialmente a Sr. Edson, Sávio, Joel e Edirlei na condução das ações, Dona Dajuda, Angélica, Joia e Luzielma na comissão de confecção das refeições. Mestre Jorge Rasta lamenta a ausência da maioria das lideranças da Teia já comprometidas, de coordenadores e técnicos da Ecobahia.
O trabalho segue a todo vapor para a realização do XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas, de 26 a 30 de setembro, toda ajuda é bem-vinda!!!


























terça-feira, 4 de setembro de 2018

O XVII CARURU DE IBEJI E AS PEDAGOGINGAS COMEMORA OS 30 ANOS DA CASA DO BONECO CONSOLIDANDO A ESCOLA DO TAMBOR




Entre os dias 26 e 30 de setembro a Casa do Boneco de Itacaré (CBI) promove o XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas, encontro anual que reúne lideranças, organizações comunitárias, educadores, artistas, mestras e mestres para discutir e colocar em prática um modelo educacional pautado nos saberes e fazeres de descendência afro-indígena. O evento proporciona o intercâmbio de conhecimento pela prática da vivência, realizando oficinas, djumbais (roda de conversa), sarau, shows, cineclube, feira de economia criativa, contemplando diversas linguagens, culminando na celebração afro religiosa do Caruru de Ibeji.

Em sua 17ª edição o encontro traz como tema “30 anos da CBI: Da desfolclorização à Escola do Tambor”, revisitando o histórico da instituição nessas três décadas de trabalho comunitário pelo empoderamento negro, em construção coletiva com diversas organizações, as discussões encaminham para a construção do projeto político pedagógico da Escola do Tambor. Com base nas experiências práticas que vem sendo construídas pela CBI e por outras organizações que promovem educação antirracista, o objetivo é utilizar a dinâmica da ‘‘gira de saberes’’ para a consolidação de um modelo educacional que contemple os povos historicamente marginalizados pelo Estado racista brasileiro.

Em 2018, em meio aos tumultos de um novo período autoritário, enquanto nossos povos gritam aos quatro ventos a denúncia da mentira que é a “democracia racial” brasileira e segue em curso a corrida eleitoral, o convite é para a construção de caminhos autônomos de fortalecimento e emancipação, numa perspectiva de luta comunitária e real, que extrapola e minimiza a militância de gabinete e de redes sociais, construindo com quem tem o pé no chão e coloca a mão na massa.


Para expositores que queiram participar da Feira de Economia Criativa, podem garantir sua barraca pelo link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeBR5jmV_5lFUPvngN0tSRhyMUwojNtSYd_LVYIA9etCYus1w/viewform

O encontro é custeado de forma autônoma pela CBI e parceiros, através de doações, crowfouding, apoios institucionais e taxas de inscrição. Você pode contribuir com a realização do evento doando qualquer valor através da nossa Vakinha online: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/xvii-caruru-de-ibeji-e-as-pedagogingas/contribua




SERVIÇO:


O quê: XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas
Tema: “30 ANOS DA CBI: Da desfolclorização à Escola do Tambor”
Data: De 26 a 30 de Setembro de 2018
Onde: Casa do Boneco de Itacaré
Contato: caruru.pedagogingas@gmail.com
Whatsapp: (73)9 9129-7924 / 8118-5280
Instagram: @casadoboneco.itacare
Fanpage: facebook.com/casadoboneco

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Convocação para o XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas



A Casa do Boneco de Itacaré – CBI, vem por meio deste tornar pública a convocação de participação para o XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas, o qual acontecerá no período de 26 a 30 de setembro de 2018 em Itacaré, Sul da Bahia. 

Trata-se de um encontro anual que reúne lideranças, comunidades, instituições, educadores, artistas, mestres e mestras, para discutir e colocar em prática um modelo educacional pautado na cosmovisão africana, denominado Pedagogingas, atrelado ao Caruru de Ibeji, celebração afro religiosa que oferta um banquete em homenagem aos Ibeji, divindades crianças que simbolizam alegria, prosperidade para nosso povo. 

Em 2018, em meio aos tumultos de um novo período autoritário, enquanto nossos povos gritam aos quatro ventos a denúncia da mentira que é a “democracia racial” brasileira, a Casa do Boneco de Itacaré completa 30 ANOS de existência dando um passo fundamental: a formalização da Escola do Tambor. Para isso, revisita a história de nossos povos, e a nossa história enquanto instituição durante o XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas, que terá como tema ‘‘30 anos da CBI: da desfolclorização à Escola do Tambor”. O encontro reunirá lideranças, comunidades, instituições alinhadas com uma perspectiva de luta comunitária e real, que extrapola e minimiza a militância de gabinete e de redes sociais, construindo com quem tem o pé no chão e coloca a mão na massa. Para isso, convidamos nossa comunidade e parceiros para continuar construindo juntos nossa história e o resgate de nossas riquezas, ocupando o que é nosso por direito. 




SERVIÇO:

O quê: XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas

Tema: “30 ANOS DA CBI: Da desfolclorização à Escola do Tambor”
Data: De 26 a 30 de Setembro de 2018
Onde: Casa do Boneco de Itacaré 
Inscrições: Participante / Expositores
Contato: caruru.pedagogingas@gmail.com
Whatsapp: (73)9 9129-7924 / 8118-5280




Confira neste link como foi o XVI Carurude Ibeji e as Pedagogingas
Contribua com nossa Vakinha e fortaleça.





segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Carta à Casa do Boneco dos alunos da Geografia USP



São Paulo, 13 de agosto de 2018


Aos membros da Casa do Boneco de Itacaré

Entre os dias 25 e 30 de abril, em um grupo de 75 pessoas, saímos do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo rumo ao sul da Bahia, para realização do trabalho de campo da disciplina de Regional África. Em nosso curso, há cerca de 10 anos essa disciplina não era ofertada. Assim, tivemos gerações de geógrafos e geógrafas que saíram da universidade sem terem estudado um continente extremamente complexo, rico em experiências, histórias e geografias que mal conhecemos: a África.

Foto: Nátali Yamas 
Durante nosso trabalho de campo, conhecemos diferentes formas de enxergar as resistências dos povos vindos da África que constroem suas comunidades e autonomias no Sul da Bahia: o Assentamento Terra Vista, a Escola Agrícola Comunitária Margarida Alves, a Casa do Boneco de Itacaré e o Terreiro do Campo Bantu-Indígena Caxuté. Por meio desta carta, gostaríamos de agradecer imensamente aos membros da Casa do Boneco pela receptividade, hospitalidade e, principalmente, por todos ensinamentos compartilhados com nossa turma.


Foto: Hugo Alexandre 
A presença de um ponto de cultura como a casa do Boneco, foi para nós uma experiência extremamente enriquecedora, pois este se constitui, em nossa visão, como verdadeiro território de resistência. Isso se deve principalmente pelo local onde está situado, área de intenso crescimento turístico de luxo, onde de certa maneira, a casa se apresenta como alternativa à história convencional aristocrática e branca, tentando incluir a narrativa pretérita (e presente) da comunidade negra no território do sul Bahia. Esse orgulho de suas próprias raízes, a vontade de contar sua própria história e o resgate da cultura africana, são instantes que permanecerão marcados em nossa memória.

Foto: Hugo Alexandre 
Foi enriquecedora a fala do Mestre Jorge Rasta. A valorização dos conhecimentos ancestrais, além de sua análise perspicaz sobre os conflitos sociais da região, foi um dos momentos mais significativos e impactantes. Grandes emissoras (como a rede Globo), políticos, população preta, índios, ribeirinhos, corporações imobiliárias nacionais e internacionais… a rede complexa de conflitos sociais no território regional do sul Bahia, somados à resistência da população local é uma constante na narrativa do mestre. Sobre essa verdadeira aula de geografia regional, enviamos nossos mais sinceros agradecimentos.

Destacamos a convivência, não como turistas, mas como aprendizes, nos diálogos realizados a todos momentos, desde as oficinas até as conversas proporcionadas pela vivência nos dias em que permanecemos na Casa. Dificilmente será possível expressar em palavras a oportunidade de contato com territórios de resistência à lógica, e divisão de trabalho, capitalistas, que fazem diariamente o resgate da ancestralidade dos negros em diáspora.

A música ao vivo, a alimentação, e as atividades práticas foram também momentos de grande aprendizado que merecem nosso destaque. Eles trouxeram de uma forma diferenciada, maneiras de compreender a valorização da ancestralidade africana. Os pequenos momentos e o mais simples detalhes como: as danças, a confecção da Abayomi e dos Tambores, o cuidado e carinho dispensados a nós pelos membros da Casa do Boneco, serão momentos de difícil esquecimento. Essa dedicação dispensada à nós, demonstra como que conseguiram persistir tanto tempo em um meio cada vez mais mercantilista e hostil.

Por fim, aprendemos também que a luta das várias comunidades indígenas e do povo preto do sul da Bahia, não é uma luta de ontem, mas sim, um processo cotidiano de resistência. Cada morte, cada injustiça, cada enquadramento motivados pela cor da pele e/ ou condição de classe são presentes em uma sociedades derivada do processo de racialização, uma sociedade doente, onde o processo de desalienação colonial é imprescindível. A Casa do Boneco é um expoente nessa luta diária, pela sua lógica autossustentável, horizontal, pautada no estudo e consciência do passado,tornando-se essencial como um local de de resistência.

“Refletir no passado para projetar o futuro!”



Atenciosamente,

Prof. Dr. Eduardo Donizetti Girotto e turma da disciplina de Regional África (do Sul)




Fotografia: Hugo Alexandre



segunda-feira, 30 de julho de 2018

XI CANJERÊ CULTURAL DA CASA DO BONECO - DE 03 A 05 DE AGOSTO





Salve família, é com muita satisfação que anunciamos o nosso XI Canjerê Cultural, dando continuidade às ações de mobilização em prol do nosso grande encontro, o XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas. Desde o mês de junho o Canjerê Cultural vem acontecendo com muito trabalho coletivo entre a Casa do Boneco e organizações parceiras, passando por Itinga - Lauro de Freitas, Salvador e Amargosa. Agora chegou a hora de nos reunirmos no nosso quilombo em Itacaré, para mais uma vez reafirmar ideais e práticas afrocentradas de produção cultural comunitária, com arte, cultura e economia solidária. 

Então não perca, no próximo final de semana, de 03 a 05 de agosto, na sede da Casa do Boneco de Itacaré o XI CANJERÊ CULTURAL. O evento é beneficente e todo recurso arrecadado será destinado à manutenção da instituição e em prol do XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas. Vai rolar cineclube, djumbai (roda de conversa), oficinas, feira de economia solidária, performance, culinária, além daquele baile com atrações de peso da cena regional e baiana.


PROGRAMAÇÃO:


03/08/2018 (Sexta-feira) - GRATUITO
18h – ABERTURA: Fala institucional da CBI sobre o Canjerê e o Caruru de Ibeji e as Pedagogingas;

19h - Sessão de Cineclube: Documentário Poesia Preta, Campanha Coletivo a Coisa tá Ficando Preta, videoclipe Solidão da Mulher Preta;

20h – Bate papo com realizadoras dos filmes;




Dia 04/08 (Sábado)
10h – Quitanda: Feira de economia criativa
10h - Oficinas: Estética Afro Brasileira (Dani jêje), Confecção de Tambores (Hugo Xoroquê), Confecção de Abayomi (Preta Ashanti); Bonecas Pretas- (Aloyá criações com Okinka Nana) Custo individual: R$10,00;

12h – Culinária Afro-indígena: prato a R$10,00 vegetariano (Bambá) ou com frutos do mar (Dilongá);

14:30h a 16:30h - Vivência de Dança Africana, com Prince Macauley (Costa do Marfim). Valor: R$85 (dois dias), R$70 até dia 31/07;

17h – Noite Cultural: MC Kiko, MC Negus Jorge, MC Bruno Congo & ITACARAP, Lori Mafoany, Dark MC, DJ Gug, DJ Rodrigo Tavares, Mussutaíba Reggae, MC Cijay e MC Pawlista PDF + Intervenções Poéticas. Entrada a R$10,00 na porta e R$5,00 antecipado com o nome na lista;

Dia 05/08 (Domingo)

10h - Quitanda: Feira de economia criativa
10h - Oficinas: Estética Afro Brasileira (Dani jêje), Perna-de-Pau (Hugo Xoroquê), Confecção de Abayomi (Preta Ashanti); Custo individual: R$10,00;
12h - Culinária Afro-indígena: prato a R$10,00 vegetariano (Bambá) ou com frutos do mar (Dilongá);
14:30h a 16:30h - Vivência de Dança Africana, com Prince Macauley (Costa do Marfim). Valor: R$85 (dois dias), R$70 até dia 31/07;

PARA MAIS INFORMAÇÕES

Whatsapp: (73) 99129-7924
Instagran: @casadoboneco.itacare
Facebook: https://www.facebook.com/CasaDoBoneco/
Blog: http://casadoboneco.blogspot.com/
Nome na lista para o baile através do evento no facebook: https://www.facebook.com/events/984561971705937/





quinta-feira, 28 de junho de 2018

Inscrições abertas para XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas




A CBI abre inscrições para participação do XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas, o qual será realizado de 26 a 30 de setembro de 2018, na sede da Casa do Boneco de Itacaré (Rua Praia da Concha, nº 41). 

Instruções:

1- Preencha o FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO com as informações solicitadas e confirme o pagamento da sua inscrição enviando o comprovante por email ou Whatsapp ( contato abaixo ).

2- Tem interesse em comercializar produtos durante o evento? Preencha o Formulário para Expositores, confirme o pagamento da sua inscrição enviando o comprovante por email ou Whatsapp ( contato abaixo ) e garanta sua barraca. Obs: essa inscrição garante sua participação no evento. Encerram dia 15 de setembro, vagas limitadas!

3- A Casa do Boneco não dispõe de recursos para hospedagem, priorizando convidadxs, mestres e mestras, os demais participantes devem arcar com seu transporte e hospedagem. Todxs xs participantes terão direito a alimentação durante o evento;


4- O evento acontecerá, como nos anos anteriores, na sede da CBI (Rua Praia da Concha, nº 41 na ladeira da Concha, em frente a feirinha de artesanato).

5- Brinquedos, livros e alimentos serão recolhidos no ato do credenciamento.

6- Tod@s devem trazer seu kit alimentação (prato, copo e talheres).

7- Em breve será divulgada a programação completa do evento.


8- Temos indicações de hospedagens com desconto para quem participará do evento:

- Odoyá: hospedagem com 50% de desconto no período de 27 a 30 de setembro. Fone: 73 3251-3557


Envie seu comprovante de inscrição e/ou tire suas dúvidas:

E-mail caruru.pedagogingas@gmail.com,
Fone/whatsapp (73)99129-7924
Fan Page: https://www.facebook.com/CasaDoBoneco

Contribua com nossa Vakinha e fortaleça.

sábado, 23 de junho de 2018

CBI lança Vakinha para o XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas




Iniciamos nossa campanha de doações para o XVII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas, este ano com o tema: “30 ANOS DA CBI: Da desfolclorização à Escola do Tambor”.


30 Anos da Casa do Boneco de Itacaré e 17 anos do Caruru de Ibeji e as Pedagogingas, um marco de luta e resistência de nossos valores ancestrais, de ruptura e enfrentamento dos modelos colonizadores e racistas. Contribua com essa celebração cultural que é dedicada à infância e juventude. Esse recurso será usado para financiar a alimentação comunitária durante os cinco dias das Pedagogingas.

FAÇA SUA DOAÇÃO EM NOSSA VAKINHA CLICANDO AQUI:

Para aqueles que preferem fazer uma doação direta segue os dados bancários:

Banco do Brasil

Agência 4105-x
Conta Corrente 8065-9 -

Daniele dos Santos de Jesus



Informações:

(73)9 9129-7924
caruru.pedagogingas@gmail.com
Instagram: @casadoboneco.itacare


Confira neste link como foi o XVI Carurude Ibeji e as pedagogingas: http://casadoboneco.blogspot.com/…/xvi-caruru-de-ibeji-e-as…

quarta-feira, 23 de maio de 2018

VIII Canjerê Cultural




O Canjerê Cultural é um evento beneficente em prol do Caruru de Ibeji e as Pedagogingas, voltado para a divulgação e difusão da cultura popular afro-indígena, organizado de forma comunitária pelo coletivo da Casa do Boneco de Itacaré-BA (CBI). Construído em rede por colaboradores e colaboradoras de diversos lugares do país, configura-se em uma forma de materialização do ideal pan-africanista de união entre nossos povos, para fortalecimento e celebração de nossa identidade. Realizado desde 2012, o Canjerê se consolidou como um espaço de produção cultural comunitária que aglutina diversas linguagens artísticas (circo, dança, música, teatro, culinária, audiovisual, artes visuais) em ações diversas de formação, de difusão cultural e de economia solidária.

O VIII Canjerê Cultural, será realizado em Itinga - Lauro de Freitas-BA, no próximo dia 10 de junho de 2018, Esta edição acontecerá na Cabana Cultural Mestre Fuscão, coordenada pela Cabana Cultural do Mestre Fuscão, Fúria Consciente, Bella forma e ND entretenimento em parceria com alguns artista, coletivos e empreendimentos de Itinga, na Rua Agenor de Jesus, nº26, Jardim Independência. 

Para mais detalhes acompanhe o evento criado no Facebook



SERVIÇO


O quê: VIII Canjerê Cultural
Data: 10 de junho de 2018 
Horário: 10H às 18h
Onde: Cabana Cultural Mestre Fuscão
Ingresso: R$5,00 + 1kg de alimento não perecível
Contato: (73)9 9129-7924 / (71) 9 8722-6712 / (71) 9 9155-6142 
Blog: http://casadoboneco.blogspot.com.br
Instagram: @casadoboneco.itacare
Fanpage: facebook.com/casadoboneco



sexta-feira, 27 de abril de 2018

CBI receberá turma de Geografia da USP para vivência sobre Geografia Quilombola!


Entre os dias 28 e 30/04 a Casa do Boneco receberá uma turma com mais de 70 pessoas do Departamento de Geografia da USP - Universidade de São Paulo. O receptivo fará parte de trabalho de campo que a turma estará realizando com a disciplina de Regional África, e a vivência proposta junto à CBI engloba Roda de Saberes sobre Geografia Quilombola, além de oficinas e cultural.



Confiram texto fornecido pela turma, que demonstra a importância dessa atividade:

‘‘Em nosso curso de Geografia, há mais de 10 anos essa disciplina não era ofertada. Assim, tivemos gerações de geógrafos e geógrafas que saíram da universidade sem terem estudado um continente extremamente complexo, rico em experiências e histórias e geografias que mal conhecemos: a África. Sabemos que 75% dos alunos e alunas formados em geografia da USP tornam-se professores e professoras... O que eles ensinam sobre a África em sala de aula?

Em praticamente todas as matérias da Geografia da USP, como “Geografia do Estado de São Paulo”, “Regional América Latina”, “Geografia Urbana” ou “Planejamento”, nós lemos autores europeus. Somos ensinados a comparar as cidades brasileiras com Paris, o camponês brasileiro com o camponês francês, a luta dos trabalhadores daqui com a dos operários ingleses. Por que as experiências, cidades, lutas ou modos de ser e viver dos milhares de povos do continente africano nunca são vistas como referência para que possamos entender a realidade brasileira? Por que os países da África nunca são apresentados em nosso curso?

Invisibilizar a complexidade do território e dos povos africanos, em poucas palavras, é racismo. É esse mesmo racismo que faz com que alguém chame ao outro de “macaco”, racismo que exclui ao povo negro das universidades, racismo que assassina a população negra e com ela, as suas formas de ser e de pensar.

Para lutarmos contra essa realidade, estamos realizando o trabalho de campo. Em nosso trajeto, iremos conhecer as resistências dos povos vindos da África que constroem suas comunidades e autonomias no Sul da Bahia. Conheceremos o Assentamento Terra à Vista, a Escola Agrícola Comunitária Margarida Alves, a Casa do Boneco de Itacaré e o Terreiro do Campo Bantu-Indígena Caxuté.

Finalmente, conheceremos “outras referências”: as comunidades tradicionais, os povos de terreiro, os diaspóricos do campo e da cidade, o povo preto que luta para reafirmar os nossos valores ancestrais. Gostaríamos de levar para a universidade a voz e a ação dos nossos verdadeiros mestres, esses que muitas vezes sequer sabem escrever, mas sabem mais do que qualquer intelectual quais são as saídas para a construção de um outro mundo, de uma outra geografia.’’

Acompanhem nossas redes sociais para ficar por dentro dos flashs da atividade!
Instagran: @casadoboneco