sexta-feira, 5 de junho de 2015

II EDIÇÃO DO FESTIVAL DE GASTRONOMIA DO PARAÍSO DAS ILHAS BIJAGÓS


Preparação dos pratos
 Pt Em Bubaque foi realizado nos dias 29 e 30 de Maio de 2015 a II Edição do Festival de Gastronomia do Paraíso das Ilhas Bijagós. O projecto NÔ KUME KIL KI NATUREZA DANU realizado pela Associação Nô Kultura em parceria com várias instituições públicas e privadas juntou diversas personalidades vindo das diferentes Tabancas para falar de gastronomia local através das exposições de pratos tradicionais e apresentações de danças tradicional Bijagós e afro-brasileira.
 Kri  Na Bubaki i ifasidu na dia 29 a 30 di maiu di 2015 II Edison di Festival di kumida di Terra ku bonitasku di tchom di Bidjugu. prujetu NÔ KUME KIL KI NATUREZA DANU ku fasidu pa Associason Nô Kultura ku kolaburason di mangadi instituisons di estadu ku kilis ki ka di estadu, ki utrus djintis ku Bin di diferentis tabancas pa bim papia di kumida di Terra atrabés di mosta nô pratus Tradisional, badjus di Bidjugu ku Badjus di Brasil. 
Mesa de abertura, da esquerda para a direita: Jorge Rasta, Babacar Saar, Mário Valentim, Aladje Silá e Luis Ié.

   O administrador do Sector de Bubaque MARIO VALENTIM foi quem presidiu a cerimónia de abertura, louvando a iniciativa da comissão organizadora e permitindo que a administração local apoie no próximo ano a realização deste evento da gastronomia, assim para poderem ensinar as nossas comunidades a comer e respeitar aquilo que a natureza nos oferece.
   Admistradur di sector di bubaki MARIO VALENTIM i kim ku fasi sirmonia di abertura, i n´gaba tarbadju di kumison i fala kuma  utru anu admistrason di Bubaque na apoia na organizason assim pa pudi insina nô kumunidadis kumé i rispita kil ki Naturesa danu.

Exposição dos pratos
   FILIPE CARDOSO, administrador da Casa do Ambiente Cultura Reserva de Biosfera e Director da Rádio Djan-Djan Voz das Ilhas Bijagós realçou a importância de consumir aquilo que é nosso e para fazer isso é preciso um reforço de sinergia entre instituições na campanha de sensibilizações de mudança de mentalidade das nossas comunidades a favor do consumo dos produtos naturais.
   FILIPE CARDOSO, admistradur di kasa di Ambienti kultura reserva di Biosfera el tambi i Diretor di Rádio Djan-Djan Voz di Ilhas Bidjugus i ialsa importansia di kumé kil ki i di nós pa es i prisis pa tudu instituisons djunta pa fasi kampanha di sencibilizason pa mudansa di mentalidadi di kumunidadi pa konsumu di nô prudutus Naturas.

   JORGE RASTA, director executivo e membro fundador da Casa do Boneco do Brasil agradeceram a vontade e participação da comunidade no festival e disse que esta associação brasileira está inserida em várias organizações feitas pelos descendentes dos negros que foram retirados de África para o Brasil onde foram escravizados por mais de 300 anos. A participação da Casa do Boneco neste II edição do festival acontece no sentido de fortalecer os laços entre os países irmãos.
   JORGE RASTA, diretor executivu  i menbru fundadur di kasa di Boneku, i gardisi vontadi i participason di kumunidadi na festival i fala kuma es Associason brasileiru i sta na mangadi organizason ku fasidu pa raiz di pretus ku tiradu di África pa Brasil nundé ki é kastigadu pa más di 300 anus. Participason di kasa di Boneku na es II- Edison di Festival i pa fortalesi lassus entri País ermons.

   BABACAR SAAR, órgão consultivo da comissão organizadora do Festival agradeceu os patrocinadores da primeira edição e também realçou a importância do consumo dos nossos produtos naturais que é muito fraco nas zonas insulares.
   BABACAR SAAR, orgon consultivu di kumison organizadur di Festival i gardisi djintis ku patrocina bá I- Edison i tambi i ialsa importansia di konsumu di nô prudutus Naturas ki i muitu fraku na zonas di ilhas. 

   LUIS IÉ, presidente da comissão organizadora ficou satisfeito com a presença dos convidados e também pelo empenho e contribuições da Casa do Boneco do Brasil nas formações de Capacitações da nossa juventude nas diferentes oficinas.
   LUIS IÉ, presidenti di kumison organizadur i fika kontenti ku prisensa di kunbidadus i tambi pa impenhu ku kontribuisons  di kasa di Bonecu di Brasil na Formasons di kapacitason di nô juventudi na diferentis oficinas. 

   ADÃO CORREIA, coordenador do projecto de Gastronomia NÔ KUME KIL KI NATUREZA DANU disse que o projecto é de todos nós porque visa promover o consumo daquilo que a Natureza nos oferece nas nossas ilhas que é uma zona da Reserva de Biosfera e também considerou de positivo as actividades realizadas durante o festival e por último louvou Casa do Boneco do Brasil pelo trabalho feito nas nossas comunidades.
   ADÃO CORREIA, cordenadur di projetu NÔ KUME KIL KI NATUREZA DANU i fala kuma es projetu i di nós tudu pabia di kuma i pa promovi konsumu di kil ki Naturesa danu na nô ilhas ki un zona di Reserva di Biosfera i tambi i konsidera di positivu atividadis ku fasidu duranti Festival. Pa ultimu i n´gaba kasa di Bonecu di Brasil pa tarbadju ku é fasi na nô kumunidadis.

   Além da exposição dos pratos, das oficinas de capacitação e das apresentação culturais também tiveram palestras sobre a importância do consumo dos produtos local na comunidade e exibição do filme KADJIKE gravado nas ilhas do arquipélago e fala sobre cuidado com as tradições da nossa terra.
   Paralen di exposison di pratus di oficinas di kapacitason apresentason culturais tambi i fasidu palestras sobri importância di konsumo di prudutus local na kumunidadi inda i mostradu filmi KADJIKE ku gravadu na ilhas di arquipélagu i ta papia sobri kuidadus  ku nô dibidi tene ku tradison di terra.

  


Apresentação da Casa do Boneco



 
Apresentação do Grupo Mini Bantaba


Na próxima Edição nos esperamos ter uma organização cada vez melhor através da capacitação dos jovens nas diferentes oficinas e também para obterem maior consumo dos produtos locais.
Na utru Edison nona espera tene un  organizason más mindjor atrabés di kapacitason di jovens na diferentis oficinas i tambi pa i konsumidu tchiu produtus local.

Reportagem: Tony Tavares, Mira Falcão,  Francelino Gomes, Walter Palma e  Marciano Ingira

Esse texto foi produzido na Oficina de Comunicação Comunitária realizada na II Edição do Festival de Gastronomia das Ilhas Bijagós. Está traduzido em português e em kriolo, como forma de aperfeiçoar o idioma oficial da Guiné Bissau, sem se desvincular da língua materna e revolucionária.

Pt= língua portuguesa
Kri= kriolo 

Nenhum comentário: