segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Oficina de confecção de instrumentos afro-brasileiros: tecnologia do tambor, comunicação ancestral!

O tema do XIII Caruru de Ibeji e as Pedagogingas ‘‘Tambor e Ancestralidade’’ está expresso continuamente nas atividades que a Casa do Boneco promove em sua caminhada de luta. O aprendizado é adquirido através da troca de saberes com mestres construtores, tambozeiros e percussionistas (como Mestre Lumumba, Mestre Zé de Percelina, Mestre Antônio de Bastião, Mestre Lua Santana, Gabriel Guedes, Nei Sacramento e outras grandes influências) e é disseminado através do jovens monitores, e de outros coletivos que trabalham com a mesma perspectiva.
Durante o evento acontecerão diversas oficinas de confecção e musicalização dos tambores afro-brasileiros, com representações como ‘‘Alma Percussão’’, ‘‘Tambores Oraniã’’, ‘‘Coletivo Casa Preta (PA)’’ e ‘‘Casa de Cultura Tainã (SP)’’.

‘‘Alma Percussão’’ é um projeto que tem como objetivo desenvolver o conhecimento na percussão, em especial tambores, através de oficinas de construção e ensino-aprendizagem de ritmos da cultura popular  brasileira. Nas oficinas são produzidos instrumentos utilizando como matéria prima, madeira reaproveitada, bambu e compensado. Resguardando o processo original de construção, cria-se uma relação com a cultura popular de raiz e a cultura contemporânea, onde as peças possuem diversos formatos, tamanhos e sons particulares.



Tabores Oraniã é uma marca auto sustentável de produção de instrumentos percussivos bioartesanais com materiais de baixo impacto e de reaproveitamento, partindo dos princípios agroecológicos e visando uma reapropriação dos saberes culturais e ancestrais afro-brasileiros. A iniciativa é fruto das atividades oferecidas pela Casa do Boneco de Itacaré e une a história de dois irmãos: Hugo Xoroquê e Gominho Neves, que através de uma iniciativa de empreendedorismo juvenil busca não somente construir os instrumentos musicais, mas se apropriar também dos toques, ritmos e toda a historiografia do que é confeccionado.



O Coletivo Casa Preta (PA) é uma ONG que trabalha a ancestralidade de matriz e identidade africana e a inclusão tecnológica para a formação cultural e cidadã de crianças e adolescentes. Através de oficinas de confecção de instrumentos e percussão, são perpetuadas as manifestações culturais de rua que legitimam as tradições afro-brasileiras.




A Casa de Cultura Tainã é uma entidade cultural e social com objetivo de possibilitar o acesso à informação, fortalecendo a prática da cidadania e a formação da identidade cultural, visando contribuir para a formação de indivíduos conscientes e atuantes na comunidade. A Casa de Cultura Tainã apresenta-se hoje como uma das poucas opções de ação comunitária efetiva, sendo reconhecida como a única referência cultural em uma região onde se registram todos os tipos de carências, resultantes da falta de políticas sociais que assegurem a sobrevivência e a qualidade de vida de crianças e jovens. A tecnologia e a ancestralidade do tambor se faz presente em diversos projetos da instituição, como a Orquestra Tambores de Aço e o Projeto Tambor Menino.



Tambor e ancestralidade no XIII Caruru de Ibeji e as Pedaogingas.


Vem pra cá!

Nenhum comentário: